Há um cansaço da inteligência abstrata

Há um cansaço da inteligência abstrata, e é o mais horroroso dos cansaços. Não pesa como o cansaço do corpo, nem inquieta como o cansaço do conhecimento e da emoção. É um peso da consciência do mundo, um não poder respirar da alma. Bernardo Soares, um dos seus heterônimos

Fernando Pessoa

xn5hf13c